O que te faz feliz?

Todo mundo conhece aquela máxima de que “dinheiro não traz felicidade”. Tenho pensado, pesquisado, ouvido, visto MUITO sobre o que faz as pessoas realmente felizes. Aí entram as objeções: “Mas com o dinheiro você pode comprar coisas que ajudam a ter conforto, estabilidade, comida, transporte e todas essas coisas te fazem feliz”. Concordo. Mas de que adianta você ter conforto, estabilidade, comida, transporte, carro, casa, conta bancária lotada se não tiver os itens essenciais?

Ora, mas o que é essencial?

Essencial é aconchego, carinho, colo quentinho, amigos, família, saúde, ter alguém em quem confiar, estar rodeado de pessoas que te impulsionam em busca dos seus sonhos… A lista de essencialidades não é muito longa, se você pensar bem.

Por mais consumista e louca que seja essa vida, se pensarmos intimamente (de verdade) acabamos nos dando conta de que o que realmente importa não é material.

E mesmo as pessoas mais consumistas e materialistas que eu conheço (não são muitas, é verdade) adquirem coisas para ter o essencial. Quer exemplos? Vamos lá:

Quem tem ou quem troca de carro, busca de verdade a sensação de conquista de um sonho, ou viajar confortavelmente com a família, autoafirmação diante dos amigos, chamar “aquela” pessoa pra sair, ou ainda resolver as coisas do dia-a-dia mais rapidamente a fim de ter tempo para outras coisas da lista de essencialidades.

Quem compra uma casa quer segurança, conforto para si e/ou sua família, desfrutar da sensação de conquista, saborear o processo de ter os móveis dispostos da maneira que mais lhe agrada, criar um ambiente harmonioso para os momentos de carinho, família e amigos.

Quem consome muitas roupas, calçados, cultiva a obsessão pela beleza, o faz não por prazer naquelas coisas, mas sim porque através delas, consegue se sentir melhor em relação a si mesmo para se relacionar com os amigos, com a família e demais pessoas de seu afeto.

Ou seja, o “TER” dificilmente está sozinho. Geralmente é demandado por questões muito mais íntimas que vem do “SER” e da lista de essencialidades. Pessoas conseguem viver felizes sem um carro, sem uma casa própria, sem extravagâncias de roupas e calçados; Mas pessoas não conseguem viver felizes sem carinho, amigos, família, saúde.

Talvez você esteja pensando: “ok, mas precisamos ter um mínimo de dinheiro para sobreviver”. É verdade. Leia de novo: um mínimo. Trata-se de EQUILÍBRIO. Que não deixemos de lado os amigos, a família, os momentos de carinho e colo quentinho para conquistar uma vida de muitas posses.

Os maiores tesouros da sua vida já estão ao seu lado, valorize-os.

Invista em sorrisos, abraços, carinhos, momentos de descontração, atividades físicas pra equilibrar a saúde, trabalhe para que você adquira aquilo que deseja (conquistas são importantes e devem ser comemoradas ao lado das pessoas que amamos), mas não viva em função de adquirir.

Não faz sentido viver uma vida de acumulação. Trabalhe para ser feliz. Não perca a vida tentando ganhá-la. Esteja presente no seu dia. E, acima de tudo, SEJA GRATO.

O resto vem. É dádiva do universo. Lei do retorno. Como queiram chamar.

 

LHE DESEJO O ESSENCIAL.

 

Beijos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s