Vivendo e aprendendo

Sabe todo aquele papo de autocontrole, autoconhecimento e amor próprio?
Pois é, eu não aprendi em casa e ninguém me ensinou na escola.

Estou tendo que aprender na marra. Na raça. Com a vida. Vivendo mesmo.
O famoso “vivendo e aprendendo.”

Do alto dos meus 29 anos estou aprendendo a engatinhar quando o assunto sou eu. Estou começando a lidar com meus próprios sentimentos, com as minhas luzes e sombras, compreender e amar cada partezinha da pessoa que sou hoje.

Pelo pouco que me conheço já consigo identificar algumas coisas que são adequadas ou não à minha vida. Mas é um exercício diário. É difícil de verdade.

Nem sempre eu estou confortável com quem sou.
Ora, se nem eu mesma aceito quem sou ou como sou, é possível imaginar a complexidade de conviver com outras pessoas e esperar que elas entendam esse emaranhado de pensamentos, sentimentos e ações que formam o meu eu.

Um grande aprendizado nessa jornada maluca que é viver foi entender que o melhor lugar onde posso permanecer é aquele em que consigo ser eu mesma.
Considero o maior aprendizado da minha vida até hoje.

Parece óbvio e bem fácil, não é mesmo?

Pois bem, pra mim é extremamente complexo.
Sinto uma necessidade de me adaptar às pessoas, aos locais, às situações. E o meu “me adaptar” fica um pouco distante de apenas conviver superficialmente; Geralmente me misturo por completo no ambiente e com as pessoas, tenho uma dificuldade enorme em manter a versão original de mim mesma.

Quando me percebo afastando minha essência, vários sentimentos ruins passam pelo meu corpo todo: começando pela tristeza, transitando pela decepção, oscilando entre as cobranças em ser eu mesma e as cobranças pra simplesmente relaxar e viver a vida (Uma vida resumida em cobranças rsrs).

Acredito que é por isso que tento me manter próxima de pessoas que gostam de mim como eu sou, que não julgam minhas ações (pois eu já faço isso com uma intensidade suficiente) e que me deixam confortável pra ser essa cabeça invariavelmente confusa, já que é dessa forma que eu evoluo: através do amor e da aceitação. Um passo de cada vez.

Por agora vou vivendo com esse aprendizado: Me mantendo perto de quem me respeita (no mais amplo sentido da palavra) e me ama como eu sou.
Isso me permite ser cada dia melhor.

(Obs: Escrever pra mim é terapêutico, então me deixa. Obrigada, de nada.)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s